Dou testemunho, ó meu Deus, de que Tu me criaste para Te conhecer e adorar. Confesso, neste momento, minha incapacidade e Teu poder, minha pobreza e Tua riqueza. Não há outro Deus além de Ti, o Amparo no Perigo, o Que subsiste por Si Próprio.

Bahá’u’lláh

أَشْهَدُ يا إِلهِي بِأَنَّكَ خَلَقْتَنِيْ لِعِرْفانِكَ وَعِبادَتِكَ أَشْهَدُ فِي هذا الْحِيْنِ بِعَجْزِيْ وَقُوَّتِكَ وَضَعْفِيْ وَاقْتِدارِكَ وَفَقْرِيْ وَغَنائِكَ لا إِلهَ إِلاَّ أَنْتَ الْمُهَيْمِنُ الْقَيُّومُ

حضرة بهاءالله

Os Bahá’ís recitam todos os dias uma das três orações obrigatórias reveladas por Bahá’u’lláh:

  • uma pequena oração que consiste em poucas linhas, que são recitadas entre o meio-dia e o pôr-do-sol;
  • uma oração obrigatória média que consiste em vários versículos, que é recitada pela manhã, ao meio-dia e à noite;
  • ou uma oração longa, que é recitada uma vez a cada vinte e quatro horas.

Estas orações obrigatórias diárias, juntamente com algumas outras específicas, tais como a Epístola da Cura e a Epístola de Ahmad, foram investidas por Bahá’u’lláh com poder e significado especiais, e os Bahá’ís deveriam, portanto, aceitá-las como tal e recitá-las com fé e confiança inquestionáveis, para que possam assim entrar numa comunhão mais íntima com Deus e identificar-se mais completamente com as Suas leis e os Seus preceitos

De uma carta escrita em nome de Shoghi Effendi